sábado, fevereiro 10

ONE presente!

Uma que sou, dão tanta falta de mim...
Querem-me lá, querem-me cá....
Bem-me-quer quem?

Nem me importa, mas a maioria das minorias que convivo me detém nos quatro cantos. Eu me desdobro em três para estar. E quando estou não me vêem! Olham roupa, cabelo, contratempo. Viram a cara ao desaparente. Vai ver que por isso desapareço entre os videntes.

Sou o mendigo sem pedir esmola. Sou a rainha vestida de negro no escuro. Sou o brilho da Lua enquanto dormem. Sou o sonho que ninguém lembra quando acorda, mas sente o incômodo no resto do dia. Sou a nuvem que chuvisca e corre. Sou a tormenta de alguns. Sou a inocente vilã em cima do muro alto: muitos desejariam atirar, mas há barreiras. Sou o medo de qualquer coisa. Sou a coragem que não se precisa ter. Sou menos eu que você, porque aprendi compartilhar meu ego. Sou mais um nada pós-socrático, sarcástica como soda, um caos universal. O sal da Terra.

Um comentário:

Tarco Zan disse...

shhhh, sussurro: pega tudo e cola..shshshs, arruma tudo antes da cola.. cola com açucar que eh boa liga.. sei do sal, mas cola com açucar e desafeto que dá certo