quarta-feira, janeiro 28

Ser, veja.

Exasperada mente. Do todo que me eclodiu, fez-se fumaça em tempo de pó. Desmantelada a bomba atônita, eu sóbria de mim, sobra de mim a nux vomica. Típico dia com fuso no horário, era para se estar na cama a comer, seja livro, seja ácaro, seja um ser ou um não ser.

Leio O Prisioneiro, de Veríssimo, enquanto a rede Globo anuncia Prison Break, próxima minissérie que tentarei ver sem me perder tal LOST. Tento colar os cílios em posição diastólica romana até chegar um sono que não vem. Sento, penso mais um pouco, canso-me de meus pensamentos, mas continuam lá. Diablitos metem tridentes pelas minhas têmporas, temperam meu fígado com o amargo ruim.

Sorvi o sangue de jesus e obtive poder, halellujah! Ando bebendo demais, falando demais por dentro com o Chico abrindo um Buarque no meu estômago: - CÁLICE! Afasta de mim esse (Cale-se!) cálice Pai! Meus miolinhos surreais não me deixam. Talvez, se eu sonhar esta noite com zumbis e eles me tomarem as víceras de empréstimo, amanhã estarei outra. Por enquanto Dolores grita: in your heeeead, in your heeeaaaad, Zombie! Zombie! Zombie-e-e! Então sossego. Acredita que meu médico receitou suco de Cranberries para eu me curar da sinusite e da fraqueza? O único fator motivacional é o nome mesmo, pois o gosto é estranho. ... ... ... ... ... . . . Opa, um bocejo.

Perdi o fio maravilha da meada e vou partir dizendo que detesto carnaval, Obama me confunde, I Love Rock'n'roll e o novo disco do U2 vem aí com mais um nome catastrófico (ou não). NO LINE ON THE HORIZON after HOW TO DISMANTLE AN ATOMIC BOMB! Nossa, consegui visualizar até o teto divino de Hiroshima pós explosão-cogumelo. Ai, minha faixa de Gaza que não goza dos privilégios pagãos do ocidente... Ai, que acidente pertencer à América latrina... Que dilema, meu deus!

Um comentário:

Exuberantemente Desprezível! disse...

esse post me lembrou muito o macaco simão.o jeito que ele 'brinca' com as palavras.