terça-feira, março 27

AME, GO!

Amigos, amigos, amigos!!! Outro dia comentei com um, com um dos melhores, senão o melhor, sobre o tempo em que me apaixonar era praxe. É que há muito não me adoeço por ninguém. Nem sei se foi resistência criada pelo que já houve, 1 2 3- resPIRE!!!, mas creio que seja a necessidade de liberdade constante. Estar preso à alguém é meramente um atraso, uma perda de tempo capaz de tolhir grande parte das vivências com os outros e consigo mesmo. Respeito e admiro quem tem competência o bastante para manter um relacionamento. Idem, percebo o quanto amadureci a idéia e não a idealização errônea de procurar o que ao certo nem sabia ou nem sei. A solidão prospera. Conhecer gente nova e aprofundar antigos laços, eis o que por hora me enamora. Sábado sorri, dancei, gargalhei bêbada de senso incomum com conhecidos e fui beijada por um desconhecido na penumbra, entre a luz negra e a vertigem do Rock Discotecado ao infinito. Prazer em conhecê-lo, você, você excitado de mim, você de quem nem me recordo o nome!!!

Um comentário:

Tarco Zan disse...

"A gente devia ter aulas de solidão na escola... aceitar as caçadas solitárias do coração." Marilene Felinto. Pal Pal Pal eh isso!