sexta-feira, abril 27

Desmantelando a bomba atônita

Está bem, eu vou esquecer você, você que se me apresentou há tão pouco e eu sentindo tanto, sinto muito, queria brincar de utopia, arriscar minha caixa de fósforos vazia, já que nada tenho a perder, mas você teria, jogo sujo, não entraremos nessa, corra corra para bem longe, desligue o fio da música enquanto é tempo, canção de amor não é nossa meada, minha versão fica fora do tempo, descabida, mesmo que eu a cante acabada todo o dia, pode ser que eu desafine, aí então você não me quererá como me quer agora, veladamente, eu segurando vela no meio dessa multidão que sabe bem como fazer às escuras, dar o jeitinho brasileiro, mas você não é daqui, o seu planeta é politicamente correto, então vamos sofrer, sofrer feito esses miseráveis com fome, e eu exagerada cobiçando o que me é negado, sem chance, sem nem ter o nada para dizer, só que eu digo que preciso ao mesmo tempo que mato, violo as horas passadas juntos, tão perto - tão longe, vou tentar tirar sua alma da minha enquanto é fácil, está no começo, no início tudo são flores, por isso estou um deserto, oasis é a visão que faço extrema de você, perdão, minha varinha de condão não é sempre que funciona, quebre-a de vez ou faça como os rockeiros bonzinhos que têm pena de meter a guitarra em estraçalho no chão, não, somos muito contidos, não vamos perder a pose diante da platéia invicta, nós venceremos de um jeito ou de outro, escolhas, escolas, vidas, folhas mortas, eu já estou convicta, meu adeus sem ir, com pressa de gelo, fogo fátuo pelo caminho, Napalm Death...

Um comentário:

Tarco Zan disse...

I guess u r overflowing again, great! great! greeeeat! I saw 300 today, so greaaat, like u I beat chests too. beautiful. I'm kinda destroyed... I need me a lot. couldn't sleep lately,but but but I'm having tea, I'll be fine fine fine, so hot the weather me so cold cold cold please don't scold! kisses flowers flows flees